Entre nós.

Desatar ou reforçar?

Cada um de nós tem um fio. Quando você conhece alguém, você deixa o seu fio encostar no da outra pessoa. Algumas vezes os fios apenas se encontram, até soltam alguns fiapinhos, mas não se enroscam. Às vezes se enrolam de um jeito tão complexo, que formam os nós, sim, aqueles capazes de ancorar barcos enormes ou apenas te fazer perder tempo na hora de colocar o colar.

Nossa linha vai ficando toda emaranhada, ficando mais curta até que chega num ponto em que, para podermos nos enroscar novamente, precisamos nos livrar de antigos relacionamentos.

Uns requerem paciência, horas e horas de cuidado e atenção para desatar tudo sem perder nada, outros são mais frouxos e saem com facilidade e tem até uns que se prendem violentamente, mas não tem como continuar assim, precisam ser cortados e acabam levando uma parte nossa.

Nem sempre é fácil descobrir quando é a hora de desatar um nó e mais difícil ainda é quando precisamos decidir se aquele relacionamento, que está por um fio, merece virar um laço novamente.

Os dois estão dispostos a fazer o “eu” virar “nós”?

Temos expectativas para atingir, pessoas para agradar, conselhos pra seguir, regras para tentar nos conformar e isso, infelizmente, se torna mais importante do que o que realmente sentimos. Não queremos ser loucos, não queremos sofrer, não queremos perdoar.

Só que existe um tipo de nó, que tem que ficar ali, unindo duas linhas, juntando aquelas duas vidas e quando ele aparece, pouco importa se os outros acharem que o melhor é pegar a tesoura ou que logo menos vocês irão se desamarrar…

A verdade é: O que acontece entre nós, tem que fazer sentido só para nós.

E assim, quando parecer que nossas linhas estão afrouxando, a gente dá mais uma volta, eu puxo de um lado e você puxa do outro.

DEIXE UM COMENTÁRIO