Temporariamente?

Nunca deixe o temporário tornar-se o permanente.

Existem coisas, trabalhos, afazeres, responsabilidades, etc, que são um saco! Um saco mesmo. A gente faz (!), mas faz com aqueeeela má vontade. Se é de manhã então, parece que prefere morrer, ou melhor, que se está indo para a forca.

Contudo a maioria dessas coisas chatas são em prol de um objetivo maior, tal como: ficar naquele emprego que é um porre (mas que paga bem), para fazer um intercâmbio daqui alguns meses, ser estagiário e fazer a parte chata para depois ser efetivado e poder mandar alguém fazer a parte chata para você, ficar um tempão com uma pessoa (mesmo querendo namorá-la) simplesmente porque ela precisa daquele tempo, estar num job super chato enquanto aquele que você realmente ta afim não deslancha e por aí vai…

O problema é quando a gente se acomoda e aquilo que era para ser “por um tempo” ou um “quebra-galho” se torna uma vida toda e vira rotina, nossa vida diária. Chega uma hora que a gente surta. Ou nem surta, se acomoda mesmo e fica por ali pra ver até onde aquilo vai. Esse é o problema.

Esquecer-se de um objetivo é se esquecer de plantar aquilo que você quer colher daqui algum tempo, ou até daqui alguns longos anos (mas que virão, não tenha dúvidas). É se arrepender e se frustrar. E ainda se corre o risco de se tornar uma daquelas pessoas reclamonas e frustradas em que “a vida não ofereceu oportunidades” ou que “tudo sempre foi difícil” ou até que “a vida foi injusta” e blá blá blá.

Deixar que isso aconteça é chegar lá na frente, olhar para trás e não se sentir completo, pois você sabe que não tentou o suficiente, e mais, que foi fraco e desistiu daquilo que mais queria. É invejar aqueles que lutaram e que chegaram lá, mesmo que tarde.

Aqui não se encaixa o fato de mudar de opinião e encontrar algo que se ama no meio do percurso. Não é disso que estou falando! Isso não se encaixa, pois é ótimo e é de extrema satisfação.

Não.

Se trata de desistir, de querer o mais fácil e de ser preguiçoso. Se trata de não correr atrás o suficiente e de mostrar que aquela teoria de que “algumas coisas são para poucos e não para quem quer” é a mais pura verdade. E prova também que você nasceu para ser mais um e não O UM.

Corra atrás o máximo que puder. O que pode acontecer? Você pode demorar para chagar lá, mas tenho certeza que uma hora você chega.

DEIXE UM COMENTÁRIO